Comissão Nacional de Eleições da Guiné-Bissau

Dream about saving money?

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod tempor incididunt.

SlideShow

A A A

Em um Comunicado à imprensa a Comissão Nacional de Eleições - CNE reage às falsas e manipuladas informações, veiculadas nas redes sociais, atentatórias a honra e dignidade a esta instituição e aos seus dirigentes, como também tentar debilitar a imagem desta prestigiada instituição de administração eleitoral.

Em todo território nacional e na Diáspora a votação foi encerrada as 17 horas deste domingo, 29 de dezembro, salvo naquelas poucas mesas em que ainda se encontram eleitores na fila.
Em muitas mesas de voto estão a proceder a contagem e apuramento preliminares dos resultados de votação.
A Secretária Executiva Adjunta e Porta-voz da CNE, Dr. ª Felisberta Moura Vaz, aproveitou a ocasião para apelar a tolerância, serenidade e sentido de responsabilidade à todas as candidaturas, aos órgãos de comunicação social e outros implicados, uma conduta cívica.
A CNE refuta e desmente as informações levianas, covardes e baixas que estão a ser veiculadas nas redes sociais relativamente a tentativa de fraude eleitoral.
O apanágio e a imagem histórica desta nobre administração eleitoral não podem e nem devem, em circunstancias algumas, compactuar com falácia, intrigas e outros males que tendem desvirtuar os seus propósitos.
A atuação desta administração eleitoral está definida nos limites da Lei e não na vontade expressa de terceiros.
A CNE exorta ao público a se manter calmo, sereno e vigilante contra as manobras atentatórias à vã tentativa de comprometer o desenrolar do processo eleitoral que se pretende pacífico e ordeiro.
Devem ficar bem atentos para não permitir que os valores e princípios da integridade eleitoral e das conquistas granjeadas pela CNE, ao longo de décadas da história eleitoral da Guiné-Bissau, sejam desvirtuadas.

Pela terceira vez, este ano, os guineenses foram chamados às urnas, desta vez para, na 2ª volta das eleições presidenciais de 29 de dezembro, eleger o novo Presidente da República de Guine Bissau.
Como tem sido habito, as urnas abriram as sete (7) horas, em todo território nacional e na Diáspora.
Até 12h30, altura em que a Secretária Executiva Adjunta e Porta-voz da CNE, Dr. ª Felisberta Moura Vaz, fazia o primeiro balanço do dia, a votação decorria com normalidade, sem qualquer ato ou incidente, no terreno, que possa constituir uma perturbação, apesar de aparente fraca afluência dos eleitores às urnas.
Foi salientada a votação antecipada que se realizou, um pouco por todo o país, 72 horas antes, ao abrigo da legislação, para atender aos eleitores, devidamente autorizados, que devem estar em missões de serviço, neste dia 29, com o seguinte figurino:
No Sector Autónomo de Bissau votaram, antecipadamente, 290 eleitores no universo de 207.659 inscritos, correspondente a 0.14%;
Na Região de Bafatá, num universo de 100.961 inscritos, votaram 116 eleitores, correspondente a 0.11%;
Na Região de Gabú, em 97.414 inscritos, votaram 131 eleitores, correspondente a 0.13%;
Região de Biombo, 50.490 inscritos, votaram antecipadamente 58, correspondente a 0.11%;
Região de Cacheu, 90.092 inscritos, votaram 16, correspondente a 0.02%;
Região de Bolama Bijagós, com 17.267 inscritos, votaram 48, correspondente a 0.28%;
Região de Quinara, com 31.920 inscritos, votaram 81 eleitores, equivalente a 0.25%;
E na Região de Tombalí, 39.704 inscritos, votaram 26, correspondente a 0.07%.
Não se realizou votação antecipada apenas na Região de Oio.