Comissão Nacional de Eleições da Guiné-Bissau

A A A

A Comissão Nacional de Eleições da Guiné-Bissau (CNE) apresentou publicamente o novo cartão de eleitor biométrico para o recenseamento eleitoral que vai culminar com as eleições legislativas a 18 de Novembro.
A margem da apresentação do cartão esta quarta-feira (5 de Setembro), a Secretária-executiva da CNE Felisberta Moura Vaz afirma que o novo cartão já foi aprovado igualmente pelo Gabinete Técnico de Apoio ao processo Eleitoral (GTAPE).
“ Após uma apreciação devida do modelo de cartão entre GTAPE e a CNE do termos do artigo 11º da lei 12/2013 de 27 de Dezembro, CNE neste sentido deliberou a aprovação do modelo de cartão de eleitor acabada de se apresentar” diz para depois assegurar que “as eleições dependem do recenseamento, portanto aprovado o cartão, vimos que tudo está pronto para quando chegar os “kits” iniciar-se logo o recenseamento. Quando chegar os “kits”, e iniciar-se o recenseamento, daí podemos falar das eleições”.
Por outro lado, garantiu que o cartão é seguro tendo depois afirmado que estão a trabalhar para cumprir suas missões que é de realizar as eleições. “ É um cartão novo porque o recenseamento é biométrico. O modelo de cartão é seguro. Como se sabe, mesmo o governo não está bem em termos financeiros para estas eleições, entretanto todos os intervenientes estão a trabalhar no sentido de estar em condições financeiro para cumprir as nossas missões”, garantiu.
Entretanto, o primeiro-ministro, Aristides Gomes, assegurou que as eleições legislativas vão ser realizadas a 18 de Novembro de 2018 e que não existe nenhum plano alternativo, apesar dos atrasos.
A outra dificuldade na organização das eleições é o atraso na chegada de "kits" biométricos que são necessários para registo e identificação de cada eleitor.




Conosaba