Comissão Nacional de Eleições da Guiné-Bissau

Dream about saving money?

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod tempor incididunt.

SlideShow

A A A
A ministra de Administração Territorial e Gestão Eleitoral disse terça-feira que só vão utilizar os Cadernos Eleitorais corrigidos se os candidatos às eleições presidenciais de 24 de Novembro do corrente ano concordarem com o procedimento.
 
Maria Odete Costa Semedo falava após uma visita à Comissão Nacional de Eleições (CNE), para se inteirar dos trabalhos que estão a levar a cabo.
Estamos a trabalhar na correção do Caderno Eleitoral para fazer constar os nomes de cerca de 25 mil eleitores que ficaram de fora nas eleições legislativas, mas cabe aos candidatos decidirem junto da CNE se vão ou não utilizar o Caderno Eleitoral corregido”, esclareceu a governante.
A ministra acrescentou que se a decisão dos candidatos vier a ser a de não utilização do Caderno Eleitoral corrigido, vão simplesmente utilizar o caderno utilizado nas eleições legislativas de 10 de Março passado.
Costa Semedo sublinhou que a correção do Caderno Eleitoral está sendo feito para se evitar complicações no futuro, tendo justificado que se não fizeram a correção pode até haver reclamações do porquê de não correção.
“Não vamos resistir com os candidatos no que toca com o uso de Caderno Eleitoral corrigido, porque esse trabalho é simplesmente de índole técnico. Se não concordarem vamos apenas abdicar dele e os candidatos serão os decisores do procedimento final”, repisou a governante.
A ministra de Administração Territorial e Gestão Eleitoral reafirmara a missão da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) que esteve recentemente no país a impossibilidade de haver um novo recenseamento de raiz, reclamado por certas formações políticas.
Fonte: Lusa/Conosaba

A Comissão Nacional de Eleições disse hoje que a segunda volta das eleições presidenciais, marcadas para 24 de novembro, deverá realizar-se em 29 de dezembro.
"Caso seja necessário, a segunda volta das presidenciais será em 29 de dezembro", afirmou à Lusa fonte da CNE.
Segundo a mesma fonte, a decisão foi tomada depois de uma revisão do cronograma.
Um cronograma inicial divulgado à imprensa dava conta que a segunda volta se realizaria em 05 de janeiro.
Numa reunião, realizada na terça-feira, pelo Conselho de Segurança da ONU, a secretária-geral assistente para África do Departamento de Operações de Paz, Bintou Keita, pediu apoio financeiro da comunidade internacional para a realização das presidenciais, tendo avançado que a segunda volta se realizará em 29 de dezembro.
Fonte: Lusa/Conosaba

O Presidente da CNE, Dr. José Pedro Sambú Juiz Conselheiro, recebeu nesta segunda-feira, dia 29 de julho do corrente ano, uma delegação da CEDEAO, chefiada pelo seu Presidente Jean Claude Kassi Brou.

Na comitiva da referida delegação está a Ministra dos Negócios Estrangeiros e das Comunidades Dra Suzi Barbosa.

O Embaixador da República Federal da China na Guiné-Bissau, fez hoje (quarta-feira) dia 03 de julho do corrente ano a entrega dos materiais informáticos doados a Comissão Nacional de Eleições - CNE.

O donativo do governo chinês inscreve-se no quadro de apoio para a realização de eleições presidenciais, marcadas para o dia 24 de Novembro próximo.

No ato da entrega, o embaixador da China no país, Jin Hongjun disse que o apoio é sinal de amizade entre os dois povos e, espera que, contribua para o processo eleitoral em curso. Nesta cerimónia da entrega deste donativo foi assinado pelo Embaixador da China e pela CNE, na presença dos membros do secretariado executivo, diretor geral do GTAPE, altos funcionários da CNE e alguns convidados.
O Presidente da CNE, José Pedro Sambú realçou na ocasião a importância do donativo chinês para a realização de eleições livre, justas, transparentes e credíveis.
O Donativo chinês é constituído entre outros materiais, cinquenta computadores portáteis, dez máquinas fotocopiadoras multifuncionais, cem UPS's e trinta impressoras.

O Presidente da República, José Mário Vaz, fixou a data de realização das eleições presidenciais para o dia 24 de novembro do ano em curso, através do decreto presidencial n.° 05 /2019, datado de 18 de junho do corrente ano. 

O Chefe de Estado que termina oficialmente o seu mandato de cinco anos no próximo dia 23 do mês corrente, fixou a data de realização de eleições presidenciais horas depois de terminar a auscultação de mais de 40 formações políticas legalmente constituídas na Guiné-Bissau.

Salienta-se que Comissão Nacional de Eleições - CNE tinha previsto no seu cronograma entregue ao Presidente da República, a realização da eleição presidencial a 03 de novembro e que se houver a segunda volta que seja realizada a 08 de dezembro.

Fonte: O Democrata